A paraibana Silvana Pilipenko, que ficou 26 dias desaparecida durante a guerra na Ucrânia, finalmente chegou à Paraíba na madrugada deste domingo (10). Ela, o marido e a sogra chegaram ao Aeroporto Castro Pinto e foram recebidos por muitos familiares e amigos, por volta das 3h da manhã.

A chegada foi emocionante, marcada por muitos abraços e reencontros. A mãe de Silvana, Dona Antônia, deu um longo abraço na filha que é casada com o ucraniano Vasyl Pilipenko há 27 anos. Antes de seguir para a casa dos familiares, a paraibana falou com a imprensa sobre os momentos que viveu durante a guerra.

“Todos momentos foram difíceis. Aviões lançando bombas, nosso prédio balançava. A gente não podia sair, porque era perigoso, e dentro corria o risco do prédio desabar com a gente. Buscar água também era muit difícil, andávamos 1 quilômetro debaixo de bombas, mísseis, balas de canhão, metralhadoras”.

Perto da família, ela segue pedindo orações pelo povo ucraniano e diz aguardar um momento específico. “Eu to muito feliz de estar segura, de estar aqui. Mas eu acredito que eu vou estar muito mais feliz no dia que eu ouvir “a guerra acabou”, porque era o que nós esperávamos lá, nos dias de guerra, que alguém passasse gritando que a guerra acabou”, contou Silvana.