A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também concluiu nesta segunda-feira, 20, que a morte de uma adolescente de 16 anos, em São Bernardo do Campo, não teve “relação causal” com a dose da vacina da Pfizer que ela havia recebido uma semana antes. Em nota, o órgão afirma que os dados analisados em parceria com o governo de São Paulo “foram considerados consistentes e bem documentados”.

A Anvisa ainda afirmou que pretende notificar a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o caso, para análise “quanto a qualquer possível sinal de segurança” em relação ao imunizante da Pfizer. “Até o momento, os achados apontam para a manutenção da relação benefício versus risco para todas as vacinas autorizadas no Brasil, ou seja, os benefícios da vacinação excedem significativamente os seus potenciais riscos”, diz a nota.