Em entrevista ao Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan, nesta quarta-feira (9), o secretário tenente coronel Sérgio, à frente da secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), criticou as desinformações e acusações feitas pelo deputado estadual Walber Virgolino (Patriota) acerca do tema polêmico envolvendo a entrega de uma carga de arroz roubada para a Seap. Sérgio também falou sobre a vacinação contra a Covid-19 e defendeu a prioridade de pessoas privadas de liberdade à frente de outros grupos e classes prioritárias.

Sobre a polêmica envolvendo a carga de arroz, Sérgio lembrou que a Seap suspendeu o contrato com o fornecedor que havia vencido processo licitatório. Na última semana, foram entregues cerca de 21 toneladas de arroz que seriam distribuídas para refeição nos presídios. A carga, no entanto, foi identificada pela polícia paraibana como sendo roubada no estado de Pernambuco. Na entrevista, Sérgio explicou o episódio e criticou a maneira como o deputado Walber Virgolino abordou o tema nas redes sociais, o chamando de “irresponsável”.

“Esse arroz foi comprado, de forma lícita pela secretaria. Existe uma licitação e esse fornecedor ganhou. Segundo ele, ele comprou essa carga de um depósito do município de Sapé, e esse arroz foi entregue no almoxarifado da Seap. Nós temos uma comissão de recebimento de materiais, que é composta por cinco servidores, e esse arroz, na hora de ser avaliado por esta comissão, foi visto uma não conformidade com o que constava no contrato. A marca não era a mesma do contrato”, explicou.

“Nesse caso específico, essa carga chega no último dia 2 pela manhã, e à tarde, nós fomos avisados pelo secretário de Segurança, Jean Nunes, que a polícia civil investigava uma carga de arroz que poderia estar no almoxarifado da secretaria de Administração Penitenciária, pois teria sido roubada no estado de Pernambuco. Nós abrimos o almoxarifado, deixamos que os policiais civis investigassem e realmente estava lá na secretaria”, finalizou.