Pistola é roubada na maior feira de Segurança no Rio

single-image

Uma pistola foi roubada de um estande da maior e mais importante feira de segurança e defesa da América Latina, a LAAD Defence & Security, que começou nesta terça-feira no Riocentro, na Zona Oeste do Rio. Segundo o evento, a arma não funciona.

O crime teria ocorrido por volta das 9h, horário que a feira ainda não estava aberta ao público. A arma roubada seria uma pistola modelo APX Compact, calibre 9mm. Uma outra do mesmo modelo foi colocada no lugar da roubada, mas em seguida todas foram retiradas do estande. Ela ficavam presas a um cabo de aço, para que os frequentadores pudessem manuseá-las.

Segundo a organização, ela era não-funcional, ou seja, sem algumas peças que são responsáveis por ela disparar. No site da Beretta, fabricante da arma, ela saiu por 575 dólares — cerca de R$ 2,2 mil.  Militares das Forças Armadas que participam da feira foram chamados no estante logo após o roubo. Procurada, a Clarion Events, que organiza a LAAD Defence & Securit, confirmou o roubo.

“Podemos confirmar que uma pistola que não-funcional foi removida de um estande na LAAD Defence & Security 2019 pouco antes da abertura da exposição hoje. As autoridades militares responsáveis pelo licenciamento de armas de fogo na LAAD foram informadas e compareceram imediatamente ao local do incidente. Estamos ajudando as autoridades relevantes em suas investigações”, diz o texto.

A feira contou com a presença durante a sua abertura do presidente em exercício, Hamilton Mourão, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o governador Wilson Witzel e o prefeito Marcelo Crivella. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, também esteve presente no evento, e visitou o estande onde a arma foi roubada.

A LAAD Defence & Security tem o apoio institucional do Ministério da Defesa, das Forças Armadas, do Ministério da Justiça e da estrutura brasileira de Segurança Pública. A exposição reúne fabricantes e fornecedores de tecnologias para as Forças Armadas, Forças Especiais, além de gestores de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica.

O Dia

Leave a Comment

Your email address will not be published.