Igreja Católica reage e diz que procurador violou investigação sobre padres: ‘será responsabilizado

single-image

Em resposta  à reportagem veiculada no último domingo (20), pelo Fantástico, da Rede Globo, que tratou da “investigação do Ministério Público do Trabalho sobre supostos abusos sexuais cometidos por padres e o ex-arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto”, a Igreja Católica na Paraíba emitiu nota na qual afirma que o caso tramita em segredo de justiça e que cabe recurso, isto é, a divulgação da sentença em primeira instância teria sido um ato de violação do processo.

A Arquidiocese acusa o procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, de “violar explicitamente o sigilo ao conceder indevidamente entrevista atribuindo à juíza do trabalho, que prolatou a decisão, a responsabilidade pela divulgação de informações protegidas”. A nota afirma ainda que serão tomadas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades pelo vazamento das informações.

Sobre o escândalo noticiado pelo programa global, envolvendo membros da Igreja, o documento diz que o caso está sendo analisado nas instâncias internas desde a primeira denúncia e que a Igreja não está manchada, como a reportagem teria afirmado. Por fim, o arcebispo Dom Manoel Delson afirma que “a Arquidiocese observa e sempre observará pela Fé da comunidade católica, que estará acima até mesmo dos desvios de conduta”, realçou.

Paraiba